Os ativos intangíveis é o maior valor das empresas! Este é o novo mote! É preciso, pois, cuidar deste ativo, assegurando-lhes mais autonomia, melhores condições e mais satisfação no trabalho de forma a ser possível melhorar continuamente a produtividade e a assegurar a viabilidade de médio e longo prazo da empresa, pelo crescimento sustentável.

O valor das empresas passa, assim, pela melhoria das condições de trabalho, o aumento da motivação dos funcionários e a melhoria da performance da organização, eliminando desperdícios e acrescentando valor ao cliente.

Esta é a missão do LeanCoaching. Um importante auxílio para as empresas que atuam em ambientes extremamente competitivos, com forte exigência na flexibilidade e nos tempos de resposta.

Neste 1º post sobre o LeanCoaching vamos abordar o Coaching. Ficando para um 2º post o nosso comentário acerca da metodologia (ou filosofia) Lean.

O Coaching

O Coaching é um processo que guia as pessoas na tomada de consciência das suas capacidades e, consequentemente, a desenvolvê-las de forma a alcançarem o seu potencial máximo e, assim, conseguirem atingir as metas a que se propõem.

Dirigindo-se às diferentes partes da mente, trabalhando holisticamente, o processo de Coaching é usado para melhorar o desempenho quer na vida profissional, quer na vida pessoal, revelando-nos que é possível mudar para melhor.

E mudar o quê?

  • O conhecimento sobre nós próprios;
  • O nosso pensamento, com menos limitações e menos bloqueios;
  • O nosso entendimento sobre os outros, lidando melhor com os conflitos;
  • A nossa performance, tornando-nos mais proativos.

Através das sessões de Coaching (realizadas por um coach) procura-se obter resultados observáveis e efetivos a curto prazo, que na performance, quer no grau de autorealização e de autoconfiança. Em todo este processo, a componente da liderança pessoal tem o seu destaque central.

 Quem são os destinatários do Coaching?

Todos aqueles que pretendem aumentar as suas capacidades de autoconhecimento e autodeterminação, para serem capazes de definir eficazmente objetivos e colocar em práticas ações para a melhoria da sua performance, adquirindo mais conhecimento e mais poder sobre a sua própria vida.

Cinco razões para ter um coach:

  • Inspiração e tomada de consciência – Ter alguém ao seu lado (o coach) que o ajudará a clarificar a sua situação atual (apontando áreas a melhorar), mantendo a perspetiva correta e conseguindo o devido distanciamento para o apoiar nas decisões certas a tomar (direções futuras) e, assim, atingir os seus objetivos;
  • Motivação e tomada de iniciativa – o profissional de coaching ajudá-lo-á a ter a motivação para avançar de forma confiante e tomar as melhores decisões. Com as ferramentas de coaching necessárias poderá de forma mais rápida e eficiente tomar as decisões corretas;
  • Superação de desafios – com o apoio do coach conseguirá ultrapassar obstáculos e desafios que o impedem de melhorar e avançar. Sem julgamentos, o coach prestará apoio no redirecionar para o caminho certo. Delineará alternativas e soluções para que possa conseguir chegar ao sucesso desejado;
  • Liderança – aprender a ser melhor líder, seja no mundo dos negócios ou da carreira profissional, seja em qualquer outra área da sua vida pessoal;
  • Vida equilibrada – ter descanso e tranquilidade enquanto tudo funciona à sua volta (com uma equipa de alto rendimento a funcionar impecavelmente). Ter um negócio de sucesso ou desenvolver novos negócios, sabendo como o deverá fazer;
  • Rapidez e confidencialidade – a partir do momento em que nos colocamos nas mãos de um coach, tudo acontece muito rapidamente. Com o foco nos objetivos que pretendemos atingir, o coach ajudá-lo-á a desenvolver a sua performance, sempre com o intuito de o levar a tomar as melhores decisões, de forma sensata, acertada e de forma benéfica para o seu próprio desenvolvimento profissional e pessoal. Com a vantagem de o coaching se reger pelas normas da ética e da confidencialidade.

No nosso próximo post abordaremos então a metodologia “lean thinking” ou “pensamento magro”.

Partilhar
Share On Facebook
Share On Twitter
Share On Google Plus
Share On Linkedin